-VOTUPORANGA-SP / MAIO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

terça-feira, 17 de maio de 2011

E-MAIL AO ESCRITOR LAÉ DE SOUZA

Estimado amigo escritor
Laé de Souza,

Sou poeta e escritor aqui de Votuporanga, estive na FLIV (Festival Literário de Votuporanga) E para dar incentiva a feira, comprei um livro seu por um real, entre tantos outros que tinha lá.

Não sei o porquê do livro tão barato assim, nem se é a editora, ou se foi o prefeito aqui que pagou o restante pra cada livro vendido.

Estive na Feira e até fiz um vídeo para meu jornal na Internet, www.poetagibim.blogspot.com
Mas não tive a oportunidade de procurar os maiores responsáveis para saber o porquê do livro a um real.
Estou participando de um livro de Antologias através da Internet com um grupo de amigos. Em uma discussão sobre a venda de livros, citei que paguei um real do seu livro aqui na feira. E surgiram conversas entre o grupo, que livros vendidos a um real, são livros roubados.
Fiquei até ofendido, mas comprovei que paguei isso para eles.

Eu sei que entre grandes escritores, não sou tão publicável e que dentre alguns grandes filósofos, uns tem a capacidade de sempre chamar gente de novato, escritor que está começando. Foi assim quando eu era jovem, e agora com 42 anos ainda ouça o mesmo. Tudo me dá impressão que os grandes escritores falam isso para tirar certos aproveitos entre a gente. Pois para mim eu não distingo isso. Os jovens que escrevem são para mim os melhores. Nem gosto de modificar poesias por mais erradas que estejam, apenas se puder ajudar, vou corrigir os erros de português, se algum jovem escritor permitir.

Eu falo isso, porque já tenho passado por muitos escritores, grandes sábios que tem me criticado de porque eu não rimar minhas poesias, e que avaliou, quis modificar. Pois, quando a gente sonha ser escritor, ou quando alguém quer ser alguma coisa, não aceita que outros o faça no lugar.

Por isso amigo, busco saber de você, a sua opinião e porque o livro tão barato, se souber deste ocorrido. Quero saber para informar aos amigos escritores sobre este evento ocorrido.

Não julgo ninguém a desvalorizar o seu livro, nem a vender tão caro. Mas, o que procuro é estar junto com esta feira de livros também, que veio a incentivar as crianças das escolas e novos escritores de minha cidade.

Estou lendo seu livro "COISAS DE HOMEM & COISAS DE MULHER" , e está de parabéns, é sensacional!

Se puder me responder a estas perguntas para que eu possa publicar também no meu blog e responder aos grandes intelectuais, quero mostrar também o valor de seu livro e da tal pergunta que livros baratos podem ser roubados.

Um grande abraço
Sérgio Gibim Ortega

RESPOSTA DO ESCRITOR LAÉ DE SOUZA
Caro Sérgio

Uma das propostas do projeto Caravana da Leitura, é criar esse espanto e mostrar que temos pessoas interessadas na leitura. Não há como negar que o preço do livro é um dos empecilhos à formação de leitores, além de dificultar a leitura dos que já são leitores. Convido você e os seus amigos a dar uma passada pelo site Projetos de Leitura http://www.projetosdeleitura.com.br/ e conhecer os meus projetos que são desenvolvidos, com as minhas obras, em todo o Brasil.

Quanto ao preço do livro na Caravana da Leitura, o próximo roteiro será na semana que vem, de 23 a 27, com a tenda montada um dia em cada cidade (vide roteiro: http://www.projetosdeleitura.com.br/agenda.php ), o valor de venda do livro, abaixo do custo, é possível graças ao patrocínio. O projeto iniciado em 2004, passa por cerca de 50 cidades por ano, com a venda dos meus livros pelo valor simbólico. O projeto tem o apoio da Lei de Incentivo Cultural e conta com patrocínio.

Nas minhas palestras dirigidas a autores independentes, procuro estimular a venda das suas obras, pelo menos ao preço de custo, de forma que seja lido e ajude a formar leitores. Confesso que não tenho obtido sucesso junto aos colegas.

Certamente nunca estarei em uma grande editora, pois a minha proposta é formar um país de leitores e um dos caminhos é facilitar o acesso, com doação ou venda a um preço possível, coisa que venho fazendo nos meus treze anos de Projetos de Leitura.

Agradeço o elogio ao Coisas de Homem & Coisas de Mulher e desejo-lhes boa sorte na Antologia.

Um grande abraço
Laé de Souza

4 comentários:

Anônimo disse...

O que separa o pobre do resto é a lingua. A lingua é como uma mordaça que impede o pobre de se expressar. Os que conseguem tem algo especial pois vencem as barreiras da insegurança, do medo, da vergonha. O medo das elites é que sujam novas Lideranças, sem medo de ser feliz...GRANDE POETA!!!
VAMOS ENFRENTE QUE ATRÁS TEM GENTE!!!

Anônimo disse...

“Não tenho sabença,
pois nunca estudei,
apenas eu sei
o meu nome assiná.
Meu pai, coitadinho,
vivia sem cobre
e o fio do pobre
não pode estudá”
(Patativa do Assaré)
O CARA É OU NÃO É FERA???

Anônimo disse...

Seu doutor me dê licença pra minha história contar.
Hoje eu tô na terra estranha, é bem triste o meu penar
Mas já fui muito feliz vivendo no meu lugar.
Eu tinha cavalo bom e gostava de campear.
E todo dia aboiava na porteira do curral.

Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela,
ô ô ô ô Boi Fubá.

Eu sou filho do Nordeste , não nego meu naturá
Mas uma seca medonha me tangeu de lá pra cá
Lá eu tinha o meu gadinho, num é bom nem imaginar,

Minha linda Vaca Estrela e o meu belo Boi Fubá
Quando era de tardezinha eu começava a aboiar

Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela,
ô ô ô ô Boi Fubá.

Aquela seca medonha fez tudo se atrapalhar,
Não nasceu capim no campo para o gado sustentar
O sertão esturricou, fez os açude secar
Morreu minha Vaca Estrela, já acabou meu Boi Fubá
Perdi tudo quanto tinha, nunca mais pude aboiar

Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela,
ô ô ô ô Boi Fubá.

Hoje nas terra do sul, longe do torrão natá
Quando eu vejo em minha frente uma boiada passar,
As água corre dos olho, começo logo a chorá
Lembro a minha Vaca Estrela e o meu lindo Boi Fubá
Com saudade do Nordeste, dá vontade de aboiar

Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela,
ô ô ô ô Boi Fubá.

Patativa do Assaré - Letras

Sérgio Gibim Ortega disse...

OBRIGADO PELAS BELAS MENSAGENS AMIGO LAÉ DE SOUZA
Eu é que agradeço meu amigo pela tua resposta,
e digo, gonheci um grande escritor aqui que patrocinava e doava os livros simples que ele fazia,
Chamava Milton Ferraz, se não me falhe a memória, também o Cuím. O que mais vale é o Ouro do sol e a prata da lua,
com certeza o dinheiro vem depois.
Seu livros, já é um sucesso.
Um abraço do Poeta Gibim

PRECISO

         Sérgio Gibim Ortega Preciso olhar em seus olhos e fazer uma bela poesia. Porque tu és a minha linda, e que me trás só alegria....