-VOTUPORANGA-SP / NOVEMBRO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

CHANA UMA GATINHA DÓCIL

     Sérgio Gibim Ortega 

     Uma gata mansinha. mas ela por ser tão mansa vivia entrando dentro de casa. O dono só aceitava que ela entrasse ao dia. Nada de ficar o tempo todo.
     Assim a chamada Chana acostumou, entrava comia e saia.
     As vezes ia para à área verde, as vezes pegava um passarinho, por ser tão mansa não significa que não possa pegar um passarinho.
     A Chana aprendeu a respeitar o dono. Ela vinha pela manhã para entrar em casa, e ir com a dona para se alimentar.
     Mas quando colocava as gaiolas no chão, os passarinhos que a noite era guardado dentro da cozinha, ela encostava à beira da porta, mas não entrava de jeito nenhum. Chana era obediente ao dono. Depois que era retirado a última gaiola dos canários ela entrava. Ao contrário levaria uma espanada de pano na orelha.
     A gata criou quatro lindos gatinhos, mas como era tão mansa, na hora de parir começou a miar tão desesperada, talvez pela dor do parto. E quando colocava ela numa bacia para poder criar, ela não ficava. Se notava a bolsa saindo, a água com sangue pelo chão que começou a ficar nogento e espalhado pela varanda. Então o dono fechou a porta, lamentavelmente ela ficou a miar lá fora.
     Mais tarde o dono saiu para ver. Um gatinho se encontrava morto pelo chão. Ele enterrou e entrou para dentro novamente pensando que a gata não teria mais gatinhos. Pois ela estava de barriga grande, mas sempre foi muito magra.
     Mas ao sair novamente pra ver, ela já se encontrava atras de um dos vasos de flores e com três gatinhos. Notou-se que estavam bem limpinhos. O dono colocou os gatinhos numa bacia com um pano macio, e tentou por a gata com os filhotes. Mas a chana não ficava junto deles então, então o dono ficou aborrecido e lhe puxou a orelha previndo que os gatinhos iriam morrer de fome. O dono ficou nervoso, resolveu abandonar, fechou a porta e só abriu pela manhã, foi quando notou que Chana estava deitadinha na bacia amamentando os filhotes. Isso foi uma emoção.
     Os dias foram passando, e Chana estava com mais amorozidade pelos donos, entrava em casa, ia até a sala, e as vezes comia sempre alguns petiscos. Um dia ela entrou até a porta do quarto e deu uma observada. O dono já ficou de olho, pois alguma coisa ela planejara, foi quando saiu para fora e voltou novamente com um gatinho na boca. O dono já puxou a orelha vagamente a educar, ela soltou o filhote no chão. Pensava que ela iria abandonar o filho ali, mas não, Chana levou-o de volta e para dentro da bacia junto aos outros filhotes. O dono agora não aguentou, emocionado as lágrimas caíram. Pois a gata era educada e não abandonou o filhote.
     A gata mansinha foi criando os filhotes sempre com a dedicação, e o mais impressionante era o zelo pelos bichinhos. Sempre ao observar a bacia, os lindos gatinhos estavam bem limpinhos e, não se encontrava xixi ou fezes alguma dentro da bacia. Ficou-se a pensar como um animal pode ter tamanha inteligência? Como pode conseguir fazer tamanha limpeza com seus filhos, que mesmo o xixi não se encontrava ali?
     Os donos sempre a pensar como faria com mais gatos. Até mesmo a gata irmã dela criou mais três gatinhos no meio das plantas também. Essa por sua ves, uma gata cor rajada e maiada de cinza escuro, ela muito arisca, e que só vem a residência para se alimentar.
     Mas agora o que fazer com seis gatos a mais. Acho que a proteção divina cuida. Pois o dono preparou uma casinha aos fundos do quintal para esses novos gatinhos, e os colocou dentro do abrigo. Mas a tardezinha a gata os levou de volta para os meios das plantas novamente. O dono disse então; "Se fodas." Pois iria chover e a burra da gata a que essa os donos a chamam de Mimi. Burra nada, tão arisca que a noite ela mesmo sumiu com os bichanos.
     Voltando a historia de Chana. Um dia de repente, um gatinho amanheu morto, depois até mesmo quando já estavam começando a andar, tão bonitinhos. E quando foi no outro dia mais um etava mau. Tentou-se um socorro com leite e remédio, mas nada adiantou. O gatinho se torcia de dor e morreu. Chana se dedicou a cuidar do ultimo filhote, tão lindo, mas fraco morreu no dia seguinte.
     Agora não tinha mais gatinhos. Mimi levou os seus embora, e os de Chana morreram todos. Chana fica miando tristemente ao olhar para onde ficava a bacia, a pensar em seus filhos.
     O dono aplicou agora uma injeção para ela não criar mais. O leite endureceu, deu febre e foi dado remédios.
     Chana está magra e se espera que a gata mansinha não morra também. Estranhamente não dá para entender que doença levou os filhotes de Chana tão rápido.



domingo, 1 de janeiro de 2017

ANO NOVO


       Sérgio Gibim Ortega

     Mais um ano vamos passar. Estamos aqui com a graça de Deus, porque muitos se foram em 2016, entes queridos, amigos e muitas celebridades, quantos artistas vimos passar na retrospetiva 2016. Conhecidos que se foram.
     A vida é curta e cada dia temos que parar e, dar o devido valor, agradecer por estarmos aqui.
     É um ano difícil que vamos atravessar, com um presidente no poder acabando com tudo já conquistado e, que o povo não está aprovando, é claro, mas temos que continuar acreditando. Temos que esperar o melhor para 2017.
     2016, o ano que tivemos vitórias e decepções também. Eu Poeta Gibim com minha diabete mais atacada quase perdi minhas vistas, mas apesar de embaçar, graças a Deus voltou ao normal. Por isso eu fiquei desesperado, comecei a estudar mais os médicos no YouTube e tentar me controlar mais nas refeições. Mas há vitória mesmo acredito que vou conseguir em 2017, a emagrecer e muitos outros problemas, talvez resolver.
     E que este ano para você seja vitorioso também. É o que eu desejo, e que eu consiga publicar mais neste blog em 2017. Um feliz ano novo para você que sempre me acompanha como meu leitor.

SENTIMENTOS

                 Sérgio Gibim Ortega Quando eu bebo eu sou rei. Já existe uma poesia assim. Meus sentimentos se afloram, e  choro s...