-VOTUPORANGA-SP / OUTUBRO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

terça-feira, 27 de outubro de 2009

LOIRINHA O GRANDE AMOR DE MINHA VIDA

Sérgio Gibim Ortega

CAPÍTULO-1

MINHA PRIMEIRA SÉRIE, MINHA PRIMEIRA PAIXÃO

Em 1979 morava no sítio, município de Valentim gentil. Meu pai tocava café a meia. Quando eu ia para o café. De cima de um monte mais alto eu via a caixa d'água de Votuporanga e lá assim eu pensava.
“-Um dia estarei lá nesta cidade”.

Eu estudava numa escola no sítio e no meio do ano aproximadamente meu pai resolveu mudar para Votuporanga. Eu já tinha interrompido minha primeira série uma vez. Estava de novo a escola ainda na primeira série. Lá estava eu de novo a interromper a primeira série de novo. Pois meu pai estava se mudando para a cidade de Votuporanga.

Eu tinha apenas 11 anos de idade. Era muito acanhado e talvez por morar no sítio estava assim vergonhoso. Comecei então a acabar de terminar minha primeira série. Tinha um amigo e lá íamos juntos para a escola. Estava eu agora a estudar na escola do Uzenir Coelho Zeitune.
Mas infelizmente repeti de ano e voltava para minha primeira série novamente.

Estava começando agora a minha primeira série e desta vez no começo do ano. Logo no primeiro dia de aula me peguei olhando para uma menina bonita, ela era muito loirinha, que de tanto loira era branca...branca mesmo. Ela tinha uma irmã que era muito mais branca do que ela. Ela tinha o nariz arrebitado e os cabelos bem encaracolados.

Com o passar dos dias eu fui me apegando a esta menina. E por surpresa um dia vi ela num bairro próximo a esta escola onde estudávamos. Concluí que ela morava por ali perto. Ela estava passeando com um cachorro peludo e marrão. Segurava ele por uma corrente. Ela estava muito linda e estava com uma bermuda tipo daquelas da década de 80.
Mesmo eu vendo ela, e sabendo que nós estudávamos juntos na mesma classe, eu não conseguia cumprimentá-la, porque eu morria de vergonha. Eu estava mesmo apaixonado por ela. Ela passou eu fiquei olhando disfarçadamente ela sumir e pensando onde será que ela morava.

Nenhum comentário:

SENTIMENTOS

                 Sérgio Gibim Ortega Quando eu bebo eu sou rei. Já existe uma poesia assim. Meus sentimentos se afloram, e  choro s...