-VOTUPORANGA-SP / AGOSTO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

quinta-feira, 31 de maio de 2012

BRIGAS DE ALUNOS NAS ESCOLAS DE VOTUPORANGA



                      Sérgio Gibim Ortega

Gente! Sou muito bocudo, e se eu xingar aqui, dizendo o que faria, se alguém relar no meu filho, tenha certeza que seria processado.

No dia 11 DE NOVEMBRO DE 2011, já relatei uma criança dando soco na barriga da outra. Pois, nas proximidades da escola S.A.O, tenho visto muitas brigas. Eu sou um pai que busco meu filho e levo todos os dias, mesmo ele tendo 11 anos. Não suporto ver alunos fazendo a farra nas ruas, assim como vi hoje meninas brigando como galos de rinhas, onde uma puxava o cabelo da outra.

Olha! Apesar de citar a escola, ela não é responsável do lado de fora. Além do mais, seus diretores são muito dedicados, e ainda saem defronte à escola tentando por alunos para dentro. Mas sito à escola desta Avenida do Assary, para mostrar as autoridades local o que vem ocorrendo.

Os pais que ali levam seus filhos ficam indignados com o que vem acontecendo.

Policiamentos ali seria necessário quase sempre. E às vezes, aparecem uma vez por semana. Outro dia depois da aula, policiais subiram a rua de um lado, enquanto alunos corriam para a briga para a rua de baixo.
Poxa! Acredito que se estes alunos se tiverem  os seus pais. Deveriam ter uma Lei mais severa. Não é justo ver quase todos os dias bandos de alunos correrem para ver brigas e atiçarem uns aos outros.

Autoridades, policiamentos, nem adiantam acharem ruim comigo. Mas, o que vejo são mesmo uma putaria de alunos, e pais, e pessoas que passam nas proximidades tentando apartar as brigas de galos de rinhas.
Eu como um pai indignado e dedicado ao meu filho, vou relembrar o atirador do Realengo. Muitos viram as notícias do terror em que aconteceu numa escola onde alunos perderam suas vidas sem razão por um homem revoltado. Mas não viram o vídeo, onde ele relatou que na sua infância, foi jogado também por crianças dentro de um latão de lixo.

E depois? Quem acabou pagando o pato, foram alunos inocentes.

Alunos assim que brigam igual galos de rinhas, deveriam ser punidos da escola. Pode ter certeza que ali um aluno sempre enfrenta a briga para não apanhar. E se deixar de bater, é perigoso ser espancado até a morte. Pois ainda, outro dia ali tinha um menino com um cabo de vassoura nas mãos no meio dos alunos. Volto aqui a lembrar ainda que na minha infância também, apanhava quando menino, caipira e morador no sítio onde vivia, ia à escola, me faziam lavar a bunda no Corguinho e apanhava de vara. Vou dizer mais! Sou revoltado com isso, de ver crianças vagabundas correndo atrás uma da outra. 

Tem ainda professoras, ou funcionárias de escola que dizem: “Eles precisam aprender a se defender”. Os cambaus. E que vão à puta que o pariu! Acho dever das professoras e funcionários ajudarem na educação, não atrapalhar. Aqui falo mesmo! Doa a quem doer! Que nunca pensem em relar no meu filho, que estarei ali por perto pra pular encima como uma onça. Aí vai ficar tudo acabado.

E um minutos antes de publicar esta  matéria, acabei de ver sem querer "O FANTÁSTICO" da Globo que vai ao ar no domingo próximo. Vai falar praticamente deste assunto. Alunos que sofreram preconceitos em escolas. Olha! Preste atenção ai hem!

Nenhum comentário:

O HUMORISMO DA TV FICA MAIS TRISTE

O ator  Paulo Silvino   morreu  nesta manhã, no  Rio de Janeiro . Seu filho João Paulo Silvino lamentou o acontecido em uma postagem no Fa...