-VOTUPORANGA-SP / OUTUBRO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

sábado, 21 de fevereiro de 2009

O CARNAVOTU UM CARNAVAL DE MUITO BARULHO

                                   Sérgio Gibim Ortega
     O grande e famoso Carnavotu de Votuporanga vem satisfazendo muito aos jovens, adolescentes e amantes do Carnaval. Mas sem se preocuparem com o grande barulho que atinge principalmente os bairros mais próximos, por estar talvez numa baixada localizado defronte do Assary Clube de Campo, o barulho parece dar mais eco ainda.
     Mesmo morando em uma casa bem fechada, o barulho ainda atormenta assim, e a quem não tem nada haver com a festa.
Antigamente, o Carnaval em Votuporanga era tradicional e, tinha grande sentido para com toda população geral. Eram carros alegóricos bonitos, pobres e simples, mas um lindo desfile que todos prestigiavam sem atormentar ninguém. No final do desfile, aquele que mais gostava de baile, procurava um dos salões da cidade para a folia. Tinha o Assary também com bonito baile. Todos os salões tocavam a velha e boa marchinha, que dava gosto.
     É por isso que sempre a TV ainda lembra de grandes atrizes como a Carmem Miranda por exemplo... Os velhos tempos não voltam mais.
     Os tempos mudaram muito e, sempre para pior. Porque mais irrita no carnaval agora, é aquele bumbo que toca dia e noite. Música sem sentido nenhum. Dizem que é a música do homem Aranha Gay. Na verdade pra mim, é a música do capeta. Ela atormenta a gente que não deixa dormir. As demais músicas do Carnavotu não atrapalham. Não é o que queira criticar a música, mas sim a desorganização com que ela é tocada, porque na verdade, é sim um sucesso dos que gostam.
     Mas hoje se pode ouvir essa música do bumbo (eu falo sempre música do bumbo) nos carros e, em todos os lugares na maior altura possível.
     Não é possível um som desse jeito que não tem sentido nenhum, a não ser para os que desejam este tormento.
     Adolescentes se divertem com o Carnavotu, e autoridades presentes ganham muito dinheiro com este carnaval sem limite.
    Autoridades policiais não proíbem este barulho de tormento. Mas lembro-me, um dia, numa festinha de família, ainda pelas 22 hs da noite, aonde não havia nem música na festa e, nem gritaria alguma. Deparamos com policiais que abordaram a festa, pra dizer que estava incomodando vizinhos e, deixou todos os convidados da confraternização envergonhados. Fiquei indignado. Agora, este carnaval tem autorização! Há! Nem precisa né, com certeza. aonde manda a autoridade maior tudo fica certo.
     Neste carnaval os que gostam se divertem, e os que não podem mais se divertir, casados e, idosos, são incomodados sem nenhum respeito.
    Com toda esta festa quem sai no lucro é, quem aluga casas, apartamentos e os hotéis que recebem um alto valor para hospedar jovens turistas. A maioria tira o dinheiro dos pais e, não só os que podem, mas também os que não podem. Muitas mães deixam filhos sozinhos, abandonados, ainda crianças de menores, só para ir a esta festa que é uma das melhores do estado de São Paulo segundo a pesquisa dos jovens que gosta da fanfarra... Pular à noite toda, até às 5 horas da manhã.
     Para publicar uma matéria assim, aonde se critica qualquer festa da cidade, não tem nem um jornal que aceita fazer isto, porque jornais também são comprados pelas autoridades locais. Pra poder criticar um desrespeito desses, a gente recorre-se a Internet e, aos blogs que, ao menos da o direito da gente se expressar. Não só os que falam bonito, mas sim também o que criticam. Cada um pensa como quer e fala como deve.
     Barulho sem limite. A gente tem que publicar. Temos que rasgar o verbo. Porque acima de tudo, temos pessoas que não necessitam ouvir esse barulho à noite toda.
    Como o governo quer tirar os decibéis nos celulares que podem afetar os tímpanos das pessoas, quando se ouve músicas ao fone de ouvido que ouvi esta notícia pela TV. Mas se esquecem desses barulhos infernais que atormentam muito mais, como a música do bumbo, a música do capeta.

Nenhum comentário:

SENTIMENTOS

                 Sérgio Gibim Ortega Quando eu bebo eu sou rei. Já existe uma poesia assim. Meus sentimentos se afloram, e  choro s...