-VOTUPORANGA-SP / DEZEMBRO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

quinta-feira, 12 de abril de 2012

LEI PORCA DAS SACOLINHAS DOS SUPERMERCADOS

                       Sérgio Gibim Ortega

São José do Rio Preto, o prefeito está de parabéns! Tentaram ajudar o povo, os clientes dos supermercados a terem seus direitos das sacolinhas. Infelizmente, empresários de supermercados insatisfeitos com isso, e querendo tirar aproveito dos seus benefícios, com foram os dedos-duros dessa situação que fizeram o (ABA) Associação Brasileira de Supermercados cancelarem o compromisso desses para com seus clientes. Enquanto isso os supermercados se gabam de uma Lei fingindo estar ajudando o Meio Ambiente. Tá na cara essa grande mentira. Afinal, se fosse mesmo para proteger o Meio Ambiente, o Brasil todo deveria aderir a essa situação, tinha que acabar com as sacolinhas de vez por toda, inclusive nas lojas, bares, mercearias, etc. Não deveria existir mais as sacolinhas e pronto. Que fecha então todas as fábricas. Menos os de lixos, claro. Como eu havia dito antes, esses supermercados gastam milhões de propagandas, principalmente na TV, nas grandes mídias, agora vem a negar sacolinhas aos seus clientes. Isso é mesmo lamentável! E como também já fiz a pergunta antes, e refaço novamente: “Porque as grandes lojas de roupas, eletrodomésticos, podem dar sacolinhas biodegradáveis gratuitas, ou que estejam embutidos nos preços”. O que importa? E esses Supermercados não podem dar? É! Faço esta pergunta somente aos empresários que vieram aplicar esta Lei absurda. São sós para estes arreganhando os dentes porque tirou também o direito dos Supermercados de São José do Rio Preto, que estavam apenas a fazer o bem. Mas Deus castiga. Saibam direito sobre isso. O que se faz aqui, paga aqui mesmo. E tem Supermercados aí que já está indo pro a falência. Fica aí com essa vergonha aí. As sacolinhas para mim, ou para muitos que tenham seus veículos, não são tão importantes. Mas, escrevo em favor das pessoas mais idosas. Exemplo como meu pai que não sabe nem andar de bicicleta. Sempre vi chegar dos supermercados cheios de sacolinhas penduradas pelas mãos. Como irá trazer a pé, uma caixa de papelão? Caixas que podem ainda estar contaminadas pelos produtos que tinha dentro. E onde está a Vigilância Sanitária, que agora tirou o seu da reta? Lembro-me ainda da Lei da Vigilância Sanitária quando não era mais para os vendeiros darem saquinhos de leite embrulhados no jornal. Que coisa feia é esta Lei, que me dá nojo. Deixo de fazer meus escritos e poesias, pra perder tempo em falar destes assuntos absurdos. “Lei que me dá nojo”. Porque não consigo engolir tantas Leis porcas nesse Brasil. Infelizmente, acabei de ver a pouco, garrafas Pets entupindo bueiros, folhas secas das árvores de ruas não varridas pela Prefeitura e tantas coisas. Agora! Qualquer hora você vê! É só ir à rua. Vejo coisas assim que me embrulha o estômago, e não consigo parar, tenho que escrever para desabafar. Imagina se muitas outras coisas se disfarçarem agora atrás da Leio do Meio Ambiente para fazer o mesmo. Estamos perdidos. Infelizmente é nosso Brasil.

Nenhum comentário:

ESSE TEMPO

                  Sergio Gibim Ortega Eu vejo cada história passar pelo tempo... Tempo de infância, um tempo que passou. Lembranças ja...