-VOTUPORANGA-SP / MAIO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

sexta-feira, 6 de abril de 2012

88 CIDADES PAULISTAS RECEBEM A PROGRAMAÇÃO

DO CIRCUITO SESC DE ARTES, A PARTIR DO DIA 17 DE ABRIL
Projeto cria novas possibilidades para a difusão e democratização da cultura no estado
Intervir positivamente no cotidiano de cidades do interior, litoral e grande São Paulo, por meio da realização de atividades artísticas e culturais em espaços públicos, propiciando às comunidades acesso a novas possibilidades de interação na arte. Em síntese, esse é o objetivo do Circuito SESC de Artes, que a partir do dia 17 de abril até o dia 6 de maio, percorrerá 88 cidades (divididas em sete roteiros distribuídos pelo estado), mobilizando 18 unidades do SESC em São Paulo. Serão cerca de 50 atividades gratuitas, que reunirão cerca de 200 artistas brasileiros e estrangeiros, nas áreas de música, teatro, artes visuais, circo, dança, literatura, artemídia e vídeo. Além de quebra da rotina habitual das cidades, o SESC São Paulo, por meio do Circuito, pretende deixar rastros nesse cenário urbano com sua passagem, apresentando a arte de forma singular, a fim de proporcionar a construção de uma verdadeira educação que passa também pelos sentidos. “O Circuito SESC de Artes 2012 oferece uma oportunidade para se concretizar uma das grandes missões da instituição, que consiste na democratização do acesso do mais amplo público à produção artística atual”, define Danilo Santos de Miranda, diretor regional do SESC. Miranda afirma que “a circulação de uma programação sociocultural consistente e diversificada, por 88 cidades do interior do estado, promove a participação e o envolvimento do público numa ação de educação permanente e desenvolvimento pessoal que tão bem a cultura e as artes podem proporcionar”.

ROTEIROS E PROGRAMAÇÃO 
A caravana cultural parte da cidade de São Paulo, a bordo de sete ônibus, com destino às cidades paulistas, divididas em sete roteiros (relação completa a seguir). Embora a maioria das atividades ocorra em municípios que não contam com unidades do SESC, a execução envolve todas as equipes do SESC distribuídas pelo estado (exceto capital), trabalhando de maneira integrada, em parceria com as prefeituras locais. A programação do Circuito vai possibilitar ao público das cidades visitadas um amplo leque de atividades culturais. Na área de Música estão presentes shows com nomes como Arnaldo Antunes e Edgard Scandurra, Luciana Mello e Jair Oliveira, Marcelo Jeneci, Ceumar, Mariana Aydar, Lirinha, Orquestra Brasileira de Música Jamaicana e Os Opalas e o rapper Max B.O.. Já em Teatro (adulto e infantil) e Dança, a programação vai reunir grupos e companhias de várias partes do país, como Lume Teatro (SP), Grupo de Dança Primeiro Ato (MG), Buraco D’Oráculo (SP), Cia. do Miolo (SP), Cia. Teatral Manicômicos (MG), Cia. Les Commediens Tropicales (SP), Grande Cia. Brasileira de Mystérios e Novidades (RJ), Núcleo Artístico Luís Ferron e os bailarinos Rodrigo Cruz e Rodrigo Cunha (GO), entre outros. Ainda nas artes cênicas, atividades do Circuito ligadas ao universo do Circo vão ocupar praças, parques e teatros. Dentre os destaques estão o Circo Cambalache (Argentina), Irmãos Sabatino (SP), Grupo Zibaldoni (SP), Pambazos Bros (SP), Cia. Mimicalado (SP) e Cia. Clerouak e Maria Lulu (SP). As atividades nas áreas de Artes Visuais e Artemídia prevêem apresentações, oficinas e trabalhos coletivos. O grupo da Alemanha Die Audio Gruppe apresenta bailarinas cujas trilhas sonoras são feitas durante a própria apresentação por trajes especiais. O Gambiociclo, do grupo mineiro Coletivo Gambiologia, projeta imagens no espaço pela intervenção do público junto a um triciclo adaptado. A programação de oficinas inclui a confecção de bonecas Abayomi (feitas com retalhos e sem uso de cola ou costura), xilogravura, entre outros. Uma seleção de curtas de animação, com produções nas mais diversas técnicas, como stop-motion, lápis, aquarela, bonecos, recorte, serão apresentados antes de cada show, dentro da programação de Vídeo. Em Literatura, a programação do Circuito destaca os grupos Engasga Gato (SP), Caixa de Histórias (SP), Os Náuticos (SP), Teatro por um Triz (SP), Circo de Trapo (SP), que complementam as atividades com espetáculos e intervenções.

HISTÓRIA DO PROJETO 
O Circuito SESC de Artes faz parte de um processo que se iniciou em 1998, quando o SESC lançou o projeto Lorca na Rua, por ocasião do centenário do nascimento do poeta espanhol Federico García Lorca. O projeto, que durante um mês cobriu 36 cidades, retomava a experiência do grupo teatral La Barraca, do próprio escritor, e apresentava espetáculos de música, dança e teatro, além de exposições de artes visuais, exibições de vídeo e leituras de textos do poeta, em praças públicas. Em 1999, o projeto Coração dos Outros – Saravá Mário de Andrade levou apresentações a espaços de 65 cidades. A partir daí, o SESC estabeleceu um período de dois a três anos, para que os destaques da programação da Mostra SESC de Artes, apresentados nas unidades da Capital, fossem levados em itinerância pelas unidades do interior, litoral e região metropolitana. Foram realizados então, os projetos Balaio Brasil, em 2000, Latinidades, em 2003, e Mediterrâneo, em 2005, com variações na estrutura, formato e com um número crescente de cidades. Em 2007 realizou-se a Mostra SESC de Artes Circulações, nas unidades da capital. A partir desse ano, a programação dedicada a itinerar pelo Estado de São Paulo foi desvinculada da Mostra, surgindo assim, o Circuito SESC de Artes, como um projeto independente, e que atendeu em sua primeira edição a 78 cidades do interior, litoral e grande São Paulo. De 2008 em diante, o Circuito passou a contar com palcos e camarins padronizados, os mesmos riders técnicos de som, luz e projeção. Os artistas e técnicos contavam, além do ônibus de viagem, com caminhões para o transporte de cenários e equipamentos. O Circuito SESC de Artes 2011 reuniu aproximadamente 240 mil pessoas em torno de sua programação.

Roteiro 6
São José do Rio Preto / Ribeirão Preto / Araraquara Santa Fé do Sul, Jales, Fernandópolis, Votuporanga, Mirassol, Cajuru, Guariba, Barretos, Franca, Jaboticabal, Ibitinga, Dois Córregos, Taquaritinga, Jaú, Matão.

Dia 18 de abril - Santa Fé Do Sul Local: Praça Salles Filho (Palco Principal) – A partir das 15h
Dia 19 de abril - Jales Local: Praça João Mariano de Freitas – Av. João Amadeu – Centro – A partir das 15h 
Dia 20 de abril - Fernandópolis Local: Praça Joaquim Antonio Pereira (Praça da Matriz) – Centro – A partir das 15h 
Dia 21 de abril - Votuporanga Local: Praça São Bento – Rua Ivaí, s/n – Centro – A partir das 15h 
Dia 22 de abril - Mirassol Local: Praça Doutor Anísio José Moreira, s/n – Centro – A partir das 15h  
Dia 25 de abril - Cajuru Local: Praça da Matriz (Largo do São Bento) – A partir das 15h 
Dia 26 de abril - Guariba Local: Praça Silvio Vaz de Arruda, 190 – A partir das 15h 
Dia 27 de abril - Barretos Local: Praça Francisco Barreto – A partir das 15h 
Dia 28 de abril - Franca Local: Praça Nossa Senhora da Conceição (Concha Acústica) – A partir das 15h 
Dia 29 de abril - Jaboticabal Local: Lago da Prefeitura (Esplanada do Lago) – A partir das 15h  
Dia 02 de maio - Ibitinga Local: Praça Rui Barbosa – A partir das 15h Dia 03 de maio - Dois Córregos Local: Praça Francisco Simões – A partir das 15h  
Dia 04 de maio - Taquaritinga Local: Praça Dr. Waldemar D'Ambrosio – A partir das 15h  
Dia 05 de maio - Jaú Local: Praça da República – A partir das 15h  
Dia 06 de maio - Matão Local: Parque Ecológico - Av. Bortolo Biava (em frente Secretaria de Esportes e Turismo) – A partir das 15h  

MÚSICA Ceumar (MG) A cantora, violonista e compositora mineira iniciou sua carreira profissional em 2000, quando lançou seu primeiro álbum Dindinha. Três anos depois, em Sempre Viva, assinou a produção e os arranjos, e estreou como compositora. Depois vieram Achou! em 2006, trabalho em parceria com Dante Ozzetti e Meu Nome em 2009, gravado ao vivo na capital paulista. Em 2009 mudou-se para a Holanda, e começou a apresentar-se ao lado do trio de jazz do pianista Mike Del Ferro, que havia conhecido três anos antes em um projeto em São Paulo. O reencontro rendeu o álbum Live in Amsterdan, gravado ao vivo na capital holandesa. No repertório dos shows, a cantora faz uma retrospectiva de sua carreira. Ceumar – voz, violão e percussão / Lelena Anhaia – baixo, cavaquinho e vocal / Priscila Brigante – bateria e percussão. Duração: 70 min. Classificação: Livre  

TEATRO A Saga de Jorge Grande Cia. Brasileira de Mystérios e Novidades (RJ) O espetáculo é baseado na versão alagoana da Folia de Reis e conta, em forma de folguedo, com seus dançadores e cantores multicoloridos, a história de São Jorge contra os dragões da maldade e do caos, reconstituindo nesta celebração a figura mí­stica que se preservou nas mais diferentes culturas. No Brasil, São Jorge é apresentado como mártir da Igreja Católica e como Orixá do Candomblé e da Umbanda. Os textos são cantados e narrados seguindo a métrica do cordel dos poetas populares. A peça utiliza técnicas do teatro de rua, do circo, música e danças populares para contar sua história. Direção geral: Lígia Veiga. Elenco: Adriana Aragão, Aline Figueiredo, Beth Beli, Emerson Boy, Fabio de Sousa, Lelena Anhaia, Ligia Veiga, Mafalda Pequenino, Milton Moreno, Pedro Lima, Pedro Struchiner e Sara Hara. Duração: 80 min. Classificação: Livre  

CIRCO 
La Mutante Varieté The Pambazos Bros (SP) O espetáculo é composto por números cômicos e integrado por figuras bizarras do reino animal e vegetal. Mesclando técnicas de clown, malabarismo, dança e improvisação, este cabaré de variedades está sob o comando dos apresentadores Winston e Kingston. O grupo possui criações que privilegiam a linguagem do circo-teatro e buscam uma flexibilidade em relação aos locais de apresentação. A convivência do grupo em diferentes sociedades gerou o desejo de criar um projeto que enfatizasse as semelhanças encontradas nesses povos, articulando-as com o intuito de proporcionar identificação com o público, independente de suas raízes. Direção e elenco: Diego Martinez e Jorge Zagarzazú. Duração: 50 min. Classificação: Livre 

LITERATURA Chuva de Poesias Teatro Por Um Triz (SP) Intervenção itinerante com atores que caminham e cantam. Eles abordam o público e propõem que se escolha um dos muitos poemas que se encontram enrolados e pendurados no interior de um guarda-chuva. Após essa escolha, o poema é declamado, como um presente aos participantes. A Cia. Teatro Por Um Triz, desde 1996, desenvolve espetáculos voltados principalmente ao público infantil, sempre mesclando o teatro de animação com o trabalho de ator. Criação e direção: Teatro Por Um Triz. Elenco: Andreza Mortean Domingues, Cristiana Gimenes Parada dos Santos e Marcelo Villas Boas. Classificação: Livre  

ARTES VISUAIS Bordar São Paulo Beth Ziani (SP) Oficinas em que o bordado é apresentado como uma linguagem artística da atualidade, mostrando a força das atividades coletivas como expressão da integração, da criação conjunta, da reflexão e da representação de temas variados: memória local, literatura, história de vida, entre outros. O projeto tem como objetivo reunir a memória de São Paulo e propiciar a experiência com a técnica do bordado livre. Criação e arte: Joana Salles e Beth Ziani. Oficineiros: Beth Ziani, Joana Salles, Rioco Kayano e Pedro João Cury. Classificação: Livre 

VÍDEO Vídeos de Animação Curtas-metragens (BR) Exibição de curtas-metragens brasileiros de animação. Cada um dos roteiros contará com um programa diferente, a partir de uma curadoria elaborada. Curadoria: Thomas Larson. Classificação: Livre 

Ogro O Ogro é uma HQ que foi publicada em 1984 na revista Calafrio. A atmosfera densa e a abordagem expressionista impostas, pela arte de Julio Shimamoto, transformaram o roteiro de Antônio Rodrigues em uma pequena obra-prima. Direção: Márcio Júnior e Márcia Deretti. Duração: 8 min.  

Ícarus Um garoto de 4 anos que vive numa grande cidade e se sente só, pois seus pais trabalham muito. Direção: Victor Hugo Borges. Duração: 11 min. 

Para mais informações sobre o Circuito SESC de Artes 2012 acesse o hotsite: www.sescsp.org.br/circuito

Nenhum comentário:

PRECISO

         Sérgio Gibim Ortega Preciso olhar em seus olhos e fazer uma bela poesia. Porque tu és a minha linda, e que me trás só alegria....