-VOTUPORANGA-SP / DEZEMBRO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

segunda-feira, 15 de março de 2010

Ferrovia Norte-Sul vai cruzar região Noroeste

O prazo para a licença prévia para a instalação dos canteiros de obras da ferrovia Norte-Sul termina nesta segunda-feira. Depois, a licitação definirá a empresa responsável pelo trecho paulista da ferrovia, de 74 quilômetros. O presidente da Valec (empresa responsável pelo projeto), José Francisco das Neves, disse que as obras terão início em maio. O prazo para a conclusão é de dezembro de 2012. O custo global chega a R$ 2,5 bilhões. A ferrovia entrará em território paulista em um ponto situado sete quilômetros abaixo da ponte de Água Vermelha, percorrendo os municípios de Populina, Dolcinópolis, Estrela D´Oeste, Fernandópolis, Jales, Guarani D´Oeste, Ouroeste, Turmalina e Vitória Brasil. Os nove municípios totalizam 136.659, em uma área de 2.178 quilômetros quadrados. As obras movimentam a economia regional, com impacto positivo nos setores de comércio e serviços e na geração de milhares de empregos diretos e indiretos. A previsão é que sejam criados 2,5 mil empregos diretos e 13 mil indiretos. A contratação de mão-de-obra local durante o período de construção do trecho ferroviário, previsto para 30 meses, abrangerá, principalmente os profissionais de nível médio e fundamental. As empreiteiras contratadas deverão receber, junto com o edital de concorrência, um anexo especial onde estão incluídas as instruções para a contratação de mão-de-obra com ênfase na preferência por pessoas da região. A ferrovia interligará as malhas ferroviárias do Sul e do Sudeste com a do Norte e do Nordeste, bem como as vias navegáveis da Amazônia, tornando capazes de competir com os caminhões. A proposta de se estender a ferrovia em aproximadamente 665 quilômetros, a partir de Ouro Verde de Goiás até Estrela D´Oeste nasceu da necessidade de baratear o custo de transporte dos produtos da região como grãos, farelo, óleo de soja, adubos, fertilizantes, álcool, derivados de petróleo, açúcar e bauxita, que assim chegarão aos consumidores brasileiros e estrangeiros mais baratos. Especialistas acreditam que a ferrovia além de diminuir o preço do transporte de cargas, também incentivará o crescimento da produção da região e com isso, gerar empregos, aumentar a renda da população e melhorar a qualidade de vida nas cidades próximas ao seu eixo. Uma audiência pública foi realizada no final de fevereiro em Estrela D´Oeste. O evento foi exigido pelo Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e de Recursos Naturais Renováveis). Na ocasião, foi aprovado o relatório de impacto ambiental do projeto.
JORNAL À CIDADE DE VOTUPORANGA

Um comentário:

Sérgio Gibim Ortega disse...

Vou ser curto e grosso. Antigamente andávamos a cavalo e ninguém morria de acidente. Preocupado com acidente! Não! Gera emprego? Gera! Mas milhões passando fome,nescessedade com remédios, e tantas outras coisas e se preocupam com rodovias.
Poeta Gibim

ANÕES REJEITADOS PELOS PAÍS EM NOVELAS E FILMES

     A atriz Juliana Caldas , 30 anos, em um dos papéis principais novela das nove "Do outro lado do Paraíso" de Walcyr Ca...