-VOTUPORANGA-SP / DEZEMBRO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

domingo, 10 de janeiro de 2010

Boris Casoy comete gafe ao ofender garis no Jornal da Band

06/01/2010

PRISÃO DE VENTRE

Roberto Martins


Este e-mail foi enviado gentilmente ao Boris Casoy, no bcasoy@band.com.br

Boa noite Sr. Boris.

Boris pra mim sempre foi um nome típico de cachorro, não sei bem porque, mas sempre que escuto este nome, logo me associa involuntariamente a idéia primeira de um nome tipicamente canino, deve ser por causa daquela propaganda de ração que tinha aquele cachorrão bonito, que se chamava Boris.

Depois de assistir exaustivamente aquele vídeo em que o áudio surpreendeu o senhor debochando cinicamente dos dois garis, que faziam - provavelmente de forma voluntária e gratuita -, as felicitações pela entrada de um novo ano, me dei conta de que Boris não é mais um nome típico de cachorro, mas sim de um idiota, pois somente um idiota agiria de forma tão boçal e desrespeitosa no trato de dois brasileiros humildes, que ali estavam expressando verdadeiramente os seus sentimentos e as suas sinceras felicitações.

Senhor Boris, o seu desprezo nitidamente aflorado por aqueles que freqüentam o mais baixo nível da escala do trabalho, não deve estar restrito apenas pela classe de garis e nem deve ser sua única virtude. Provavelmente o senhor também deva sentir esta merda de sentimento pelos domésticos que lhe servem em sua residência, pelos cozinheiros e garçons que lhe servem à mesa, pelos zeladores dos banheiros em que o senhor deposita regularmente a merda que sai de dentro do Senhor, isso se o Senhor tiver esta sorte de evacuar regularmente, pois eu, é só muito de vez enquanto e, normalmente, quem tem esta terrível prisão de ventre, se torna um sujeito desagradável, mal humorado e que se incomoda com tudo, afinal, ninguém pode ser feliz carregando tanta merda assim.

Senhor Boris, não há de ver, que quando eu assisti aquele seu vídeo pela primeira vez, imediatamente me deu uma súbita cólica e eu tive que ir correndo ao banheiro fazer a mesma coisa que o senhor fez diante das câmeras e com o microfone ligado!!!

Dizem que defecar é uma ação voluntária que flui mais naturalmente quando você se sente estimulado, por isso que as nossas mamães, quando nós somos pequenos, nos levam para o banheiro quando elas vão fazer o número 1, e nos deixam lá no cantinho assistindo, é para nos sentirmos estimulados a fazer também, ao tempo em que vier a nossa vontade.

Com certeza a sua mamãe não lhe ensinou esta lição, muito menos outras mais importantes que deveria ter lhe ensinado, principalmente no trato com dignidade daqueles que estão a nossa volta, acima e abaixo da nossa escala de trabalho.

Para exercitar esta ação, penso que o Senhor deveria voltar ao ar e pedir novamente desculpas aos garis ofendidos, e não pelo fato de alguém ter esquecido o microfone aberto.

O Senhor já é um sujeito maduro e experiente, não é mais o biótipo de sujeito que o mercado está à procura, mas tem sorte por eu não ser seu patrão, senão teria trinta dias para procurar outro emprego.

Pra sorte do Senhor, eu sou só um motorista de caminhão, provavelmente nesta sua escala própria de trabalho, uma classe bem baixa como a dos dois garis que o senhor humilhou publicamente. Então, também estou humilhado com o seu hipócrita pedido de desculpas.

Mas tenho que lhe agradecer, pois com o seu estímulo, consegui fazer aquilo (?) que já fazia quase uma semana que eu não conseguia.

De hoje em diante, pra mim, o seu nome passa a ser Boris Lactopurga, ou Boris Complexo 46, ou ainda Boris Activia. Confesso que senti uma simpatia maior por Boris Lactopurga – O quê o Senhor acha???

Prisão de ventre é uma merda, não basta o cara ter que conviver com toda aquela merda dentro da barriga... Mas a sua ação também me fez ver que o meu problema é mínimo diante do martírio de outros, pois a minha merda está presa na barriga. Pobre daqueles que estão com a merda presa na cabeça, o que acredito ser o seu caso.

Obrigado por tudo!!!

Nenhum comentário:

ANÕES REJEITADOS PELOS PAÍS EM NOVELAS E FILMES

     A atriz Juliana Caldas , 30 anos, em um dos papéis principais novela das nove "Do outro lado do Paraíso" de Walcyr Ca...