-VOTUPORANGA-SP / OUTUBRO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

sábado, 18 de julho de 2009

"É poesia popular" hoje na Concha Acústica


Da Redação

O projeto de extensão do FIT (Festival Internacional de Teatro), sediado em São José do Rio Preto, está levando para municípios da região peças teatrais de renome nacional. O FIT volta a Votuporanga neste sábado para a apresentação de mais um espetáculo gratuito. A peça "É poesia popular", da Cia Forrobodó de Teatro e Cultura Popular, será apresentada às 10 horas, na Concha Acústica "Geraldo Alves Machado". Após a apresentação, na quinta-feira, do espetáculo de rua "Miséria, Servidor de dois estancieiros", que reuniu um grande público na Praça São Bento durante a feira livre, o público poderá prestigiar a peça "É poesia popular", que conta a história de um casal de retirantes (Leonildo e Maria do céu) que chegam à cidade grande a procura de uma vida melhor. Não tendo espaço para trabalhar, devido às problemáticas da cidade grande, resolvem sair pelo Brasil afora contando e cantando as histórias de seu povo. A Cia utiliza um cordel bem popular de José Pacheco - "A Chegada de Lampião no Inferno" - como forma de sobrevivência, carregam a essência do mambembe que troca sua arte pelo pão. Os dois, de maneira bem brasileira e divertida, ilustram como Lampião, rei do Cangaço, conseguiu vencer satanás e seu bando.

"Miséria, Servidor de dois estancieiros"
Na quinta-feira, na Praça São Bento, os visitantes puderam assistir à apresentação da peça de rua "Miséria, Servidor de dois estancieiros", que faz parte da programação do FIT. Os artistas são de Porto Alegre e a história é baseada na adaptação para a rua do clássico de Carlo Goldoni Arlequim, Servidor de Dois Amos, montado pelo Grupo Oigalê. A trilha do espetáculo é executada ao vivo com cavaquinho, violão, percussão e acordeão. Miséria é o pivô de uma confusão que envolve troca de identidades e amores impossíveis, com acrobacias. Para Antonio Freire, 39, que estava com sua família acompanhado o espetáculo, "é muito importante apresentações culturais como essa na cidade". Para ele, faltou um palco, porém como o espetáculo é de rua o que valeu mesmo foi ver a sua filha de 4 anos abrindo um sorriso enorme com a apresentação. Já para Lucilene Melegate, 31, feirante de Rio Preto, a prefeitura deveria investir mais nesses espetáculos culturais em dias de feira. "O teatro atrai mais família para a praça, fazendo o movimento aumentar e ficar um clima bem gostoso para se trabalhar", diz Lucilene, que já expõe seus produtos há mais de cinco anos na feira. Para a diretora municipal de Cultura, Marinês Manhani, é de grande importância para a cidade receber uma peça de rua como essa e também fazer parte do calendário do FIT 2009. Marinês ressaltou ainda que existe o projeto Alface e Cultura na cidade há mais de três anos que leva apresentações culturais do município e da região para a praça todas as quintas-feiras. Marinês disse ainda que a Prefeitura em parceria com o FIT Rio Preto estará trabalhando para trazer uma peça de teatro internacional para a cidade no próximo ano. Após uma hora e meia de apresentação o grupo fez um debate e abriu espaço para o público fazer perguntas. O grupo completou 10 anos e teve sete espetáculos já produzidos. "Miséria, Servidor de dois estancieiros" estreou em abril de 2008 em São Paulo. Os artistas disseram que optaram por trabalhar sem microfone e na rua porque o desafio é improvisar.
FONTE-JORNAL À CIDADE DE VOTUPORANGA

Nenhum comentário:

SENTIMENTOS

                 Sérgio Gibim Ortega Quando eu bebo eu sou rei. Já existe uma poesia assim. Meus sentimentos se afloram, e  choro s...