-VOTUPORANGA-SP / DEZEMBRO DE 2017 - RESPONSÁVEL: Sérgio Gibim Ortega - CONTATO: poetagibim@hotmail.com

terça-feira, 9 de março de 2010

TRAGÉDIA

Cinco pessoas morreram na noite de domingo após se envolverem em um acidente de trânsito na Rodovia Péricles Belini (SP-461) em Álvares Florence. Entre as vítimas estavam dois moradores de Votuporanga e uma família de Cardoso.

Segundo o boletim de ocorrência registrado pela Polícia Rodoviária de Votuporanga, às 22h15 o eletricista Márcio Vinícius Sakuma, 25, conduzia um Escort, placas BOX-2810, de Votuporanga, no sentido Votuporanga/Cardoso. Ao chegar no quilômetro 139, mais 240 metros, o condutor teria colidido frontalmente com a Parati, cor azul, placas CCG-1401, de Votuporanga, que era dirigida em sentido contrário pelo ajudante geral Tiago Pereira Dutra, 42.
Vítimas
Com o impacto, Dutra morreu no local. Luiz Fernando Leal Sodré da Silva, 29, que também estava na Parati, não resistiu aos ferimentos e morreu. Já Sakuma foi socorrido com ferimentos graves e levado para a Santa Casa de Votuporanga. A assessoria de imprensa do hospital divulgou que, até o fechamento desta edição, o paciente estava na UTI em estado grave.
Escort
Ana Cinthia Aguena Kuhagura, 24, estaria no banco do passageiro com o filho Vitor Kuhagura Sakuma, de 1 ano e 4 meses no colo. Tereza Aguena, 64, também estava no Escort. Todos morreram no local. Já Guilherme Kuhagura Sakuma, 7, sofreu ferimentos leves e foi levado para a Santa Casa de Votuporanga. Seu estado de saúde era estável.
Família
Familiares de Tiago Pereira Dutra informaram que a vítima voltava de uma pescaria com o colega de trabalho Luiz Fernando. Ele era casado com Solange Gomes Vilela, e deixou duas filhas, Bruna e Carol, além dos pais Getúlio Pereira Dutra e Rita Mota Dutra. Deixou ainda sete irmãos. Residia havia 15 anos em Votuporanga, tendo como último endereço a Rua Rubens Zanini, no CDHU. Era evangélico e frequentava a Igreja Assembleia de Deus. O velório ocorreu no Velório Municipal, e o enterro aconteceu às 17h de ontem no Cemitério Parque Jardim das Flores.
Luiz Fernando Leal Sodré da Silva trabalhava como operador de empilhadeira. Deixou os pais Gessinalva e Valderi, além da esposa Gislaine e os filhos Natali, Natanael e Fernando. Residia em Votuporanga havia 20 anos tendo como último endereço a Rua Aroldo Pimenta, no Santa Amélia. Era evangélico e frequentava a Assembleia de Deus. O enterro aconteceu às 16h de ontem no Cemitério Jardim das Flores.
A morte da criança que poderia estar no colo da mãe no banco do passageiro, chocou os moradores de Votuporanga e região. O diretor da 29.ª Ciretran (Circunscrição Regional de Transito), Osny Marchi, foi procurado pela reportagem para comentar sobre o caso. “O bebê que faleceu no acidente, até poderia estar no colo da mãe, desde que sempre no banco traseiro, e jamais no dianteiro. Até 10 anos, a criança sempre deve ir viajar atrás, pois os riscos triplicam quando a criança viaja no banco da frente”, orienta. Ele conta que se a criança estivesse devidamente acomodada no banco traseiro e na cadeirinha, dependendo do impacto da batida poderia ter sobrevivido. De acordo com a resolução do Contran 277/2008, de zero a um ano a criança deve ficar apenas no banco traseiro com um aparelho chamado bebê conforto; de dois a quatro anos no banco traseiro com a chamada cadeirinha; de cinco a sete anos no banco traseiro com cinto de segurança e acento complementar; de oito a dez anos no banco traseiro com cinto de segurança e de dez anos pra frente qualquer lugar com cinto de segurança. (Colaborou Luciana Tambuque)
DIÁRIO DE VOTUPORANGA

2 comentários:

Maryy disse...

nossa estou chorando meu amigo me contou a historia do meu namorado o guilherme kuhagura sakuma hoje, estou muito triste eu nao fazia ideia disso

O NOVO JORNAL DO POETA GIBIM disse...

Obrigado pelo comentário, é uma pena que estou procurando esta notícia e tenho que excluir, porque coloquei algumas notícias do diário de Votuporanga com a fonte. Mas o dono do diário achou ruim que eu publicasse notícias deles mesmo dizendo que era deles. Não exclui esta notícia ainda porque não estou localizando ela. Mas este dono deste jornal já morreu também esse que me xingou. Mas Marry que bom pelo menos vc ficou sabendo desta tragédia no meu blog. Obrigado, abraços

ESSE TEMPO

                  Sergio Gibim Ortega Eu vejo cada história passar pelo tempo... Tempo de infância, um tempo que passou. Lembranças ja...